“Artesanato é cultura, é arte, mas também é negócio, com mercado e valor agregado. Um dos desafios do momento é apoiar e profissionalizar empresas que atuem nessa área. Inserir o artesanto numa cadeia produtirva e criativa, com designers, arquitetos e outros atores.” A partir dessa premissa, uniram-se Sebrae e Instituto BRB para promover o evento Conexão Digital.

Esse se transformou no principal objetivo do Seminário Artesanato e Design na Economia Criativa, que aconteceu no último 27/8, foi totalmente on-line e contou com 478 inscrições e 310 participantes concluíntes. O evento teve como proposta principal inserir o profissional que atua no ramo do artesanato no mundo digital.

Participaram do evento grandes nomes do design brasileiro, como Marcelo Rosenbaum e Leonardo Bueno. A ideia de trazer designers para o evento foi o de tentar mudar o olhar do artesão, que, às vezes fica a vida inteira produzindo a mesma peça, mesmo que ela não seja comercial. A proposta é unir o artesão e o designer, para que se produza algo novo como, por exemplo, um produto de cerâmica com a fibra.

Juliana Mota, Gestora do Segmento de Economia Criativa do Sebrae, enfatiza que o artesão não deve encarar seu produto como um hobby, mas como um negócio. Leila Republicano, Secretária Social do Instituto BRB concorda e acrescenta “é necessário investir em alternativas profissionalizantes, como a exposição de trabalhos autorais na Internet, a utilização do Instagram e do Whatsapp Business para venda”, conclui.

Durante o evento foi discutida a importância da internet nesse momento de isolamento. O caminho, foi lembrado, e é a Conexão Digital. Quem não fizer a transição para o modo digital estará fora do mercado muito em breve.

Outra semente lançada foi a de transformar artesãos em fornecedores para os decoradores e designers, uma vez que Brasília é palco para grandes eventos neste segmento.